...E hoje foi a minha.

 

A primeira e espero que última reclamação no:

 

 

Hoje foi a gota de água!

 

Fui às compras, como habitualmente, a um hipermercado cá da zona. Aquando do pagamento dirigi-me à caixa prioritária para grávidas. Estava uma senhora a efectuar o pagamento e mais três pessoas atrás desta. Coloquei-me lateralmente à fila, bem visível, e quando a srª terminou o pagamento, solicitei à funcionária a prioridade (não sem antes verificar se havia alguém com prioridade à minha frente, algo que sempre respeitei e respeitarei). A dita funcionária ignorou-me por completo e registou as compras da senhora que se encontrava junto à caixa (srª essa que me viu perfeitamente).

 

Ao verificar a atitude da funcionária e cliente, o sr. que estava em terceiro lugar (tinha chegado depois de mim mas deixei-o colocar as compras no tapete, porque supostamente as minhas teriam de passar à frente dos outros dois) afastou as suas compras para eu colocar as minhas e, imagine-se, o sr. que estava em 2º lugar colocou-se à frente para me tapar aos olhos da funcionária.

 

Voltei a chamar a funcionária, mas em êxito pois registou de imediato as compras do sr. Quando terminou a operação e eu já estava à frente da funcionária, perguntei-lhe qual o sítio das reclamações, se na caixa ou no balcão central (claro que eu sabia que era no balcão central, mas queria ver qual a reacção e se pelo menos pedia desculpa).

 

Para espanto meu disse-me: - Depende, já passou o artigo a reclamar ou ainda vai passar?

 

Bem, passei-me!! Mesmo!! Ora, estou com quase 32 semanas de gravidez, com uma pança descomunal a ponto de estar quase a precisar de um carro de mão para a empurrar e a tipa pergunta-me qual o artigo?????

 

Perguntei-lhe, delicadamente porque estava incrédula: - Isto é uma caixa prioritária, certo?

Respondeu que sim e começou a tremer! Só aqui me pediu desculpa e disse-me que não me tinha visto e que a devia ter chamado. Desculpem????????????? Mais do que chamei? Toda a fila ouviu (e juro que não sou nada de o fazer mas estava calejada com uma situação semelhante que se passou na semana passada). É óbvio que lhe disse que a tinha chamado e que ela me tinha ignorado!

 

 

Posto isto, dirigi-me ao balcão de acolhimento e solicitei o livro, após ter explicado à funcionária o sucedido. Forneceu-me, amavelmente o livro e chamou a responsável. A responsável pediu-me desculpa pela situação e tentou dissuadir-me de reclamar dizendo que aquilo não tinha qualquer efeito e que a ASAE não ligava nenhuma aquilo, sugerindo-me que fizesse antes uma sugestão no livro deles. Bom, se de princípio até estava numa de apenas fazer reconhecer o erro, fiquei ainda mais furiosa. Será que pensam que os consumidores são ignorantes?

 

Escusado será dizer que após este episódio foi a minha estreia como reclamante.

 

Confesso que me senti muito mal ao fazê-la, embora saiba que estou perfeitamente no meu direito, mas mexeu comigo.

 

Porque reclamei?

Porque achei indecente a atitude de nem sequer pedir desculpa e assumir o erro, porque não é a primeira (nem 2ª, nem 3ª...) que acontece, mas principalmente porque venho sempre para casa nervosa a dizer que isto só acontece porque nos acanhamos e não dizemos nada, pelo que a culpa é nossa. Sendo assim resolvi fazê-lo, na esperança de que pelo menos as funcionárias tenham mais atenção a quem se encontra nas filas, pois se as caixas prioritárias existem por algum motivo será, não???

 

Um pequeno apontamento: errar é humano e por isso um pedido sentido de desculpa teria bastado, o que não aconteceu, até porque a funcionária já me tinha visto e ignorou. É a minha segunda gravidez e inúmeras vezes sucederam situações destas, às quais me calei e acanhei. Isto para não falar da maioria das pessoas que quando observam alguém com prioridade se colocam à frente desta para não ser vista...

 

... E viva o civismo!

publicado por pirikos às 19:02